Controle o apetite

Utilize a química cerebral para emagrecer

Apetite descontrolado

Você já se perguntou como o organismo controla o peso? De que maneira ele sabe quando comer e quando parar de comer? O que acontece dentro do nosso corpo para nos dizer que estamos com fome ou satisfeitos?

Emagrecer

A resposta para cada uma dessas perguntas está no sistema de controle do apetite: um complexo conjunto de interações químicas entre o cérebro, o sistema nervoso, os hormônios metabólicos, as células de gorduras especiais e o sistema imunológico. É o que chamo de ligação entre intestino, cérebro e gordura.

Esses intercâmbios químicos nos dizem se precisamos ou não de comida e nos induzem a comer. Quando estão funcionando corretamente, são um mecanismo refinado que nos avisa sempre que necessitamos consumir calorias para obter energia.

Mas, se ficam desordenados ( e com nosso sistema alimentar atual é muito fácil desequilibrados), eles nos fazem comer sem necessidade. Além de causar aumento do peso, isso contribui para maior parte dos outros problemas de saúde que enfrentamos.

O controle de apetite é tão bem regulado quanto à frequência cardíaca e a respiração. Imagine os efeitos de comer apenas 100 calorias a mais por dia no decorrer de um ano. Cada porção de 3.500 calorias equivale a cerca de 500 g de gordura.

Saudável

Ao longo de um ano, uma pessoa consome em média 900 mil calorias. Ultrapassa sua necessidades em apenas 2% ou 18 mil calorias, pode ganhar em torno de 5 kg ao fim de 1 ano. Um americano típico engorda aproximadamente 9 kg entre os 25 e os 55 anos de idade.

Isso acontece por causa de um excesso de apenas 0,3% de calorias por ano em 30 anos. Essa pequena diferença leva a um aumento de peso significativo com o passar do tempo.

Um dos principais motivos que nos fazem ganhar peso Extra é o desequilíbrio do sistema de controle do apetite. As interações químicas entre os vários sistemas no organismo que nos dizem que estamos com fome ficaram desreguladas. Este artigo fala sobre como reequilibrá-las e sintonizá-las.

Aqui eu mostro como funciona o sistema de controle do apetite e que medidas podem ser adotadas para repará-los e utilizá-lo. 

Entenda a Biologia do apetite

O sistema de controle do apetite tem quatro partes básicas. São elas:

  1. O circuito do sistema nervoso. O sistema nervoso autônomo (automático), ou circuito que conecta o cérebro, o intestino e as células de gordura.
  2. Hormônios de controle do peso. Hormônios metabólicos, incluindo os hormônios e as moléculas que as células de gordura produzem.

  1. Mensageiros do sistema nervoso central. Os mensageiros químicos do cérebro chamados neuropeptídeos.
  2. Moléculas de inflamação. As moléculas mensageiras do sistema imunológico chamadas citocinas, produzidas nas células de gordura (e nos leucócitos e hepatócitos), apresentam efeitos abrangentes.

Esses componentes trabalham em conjunto para realizar a comunicação entre todos os órgãos e tecidos responsáveis por controlar o peso e nos manter vivos.

Seus sinais fluem entre o estômago, os intestinos, o fígado, o pâncreas, as células de gordura, o sistema endócrino (hormônios), o cérebro e o sistema nervoso autônomo. Uma boa comunicação equivale a um metabolismo saudável.

A dança das moléculas entre esses órgãos e tecidos é o que nos faz comer ou parar de comer e consequentemente o que nos leva a engordar ou emagrecer. Mesmo pequenos distúrbios nesse sistema podem provocar mudanças significativas no peso com o passar do tempo.

Por ter se desenvolvido numa época de escassez de alimentos, ele é muito eficiente para nos fazer comer mais, porém não tanto para nos fazer parar de comer. Como você viu no exemplo que citei no início deste artigo, apenas 100 calorias extras por dia podem causar um aumento de peso de cerca de 5 kg por ano.

Sendo assim, porque simplesmente não contamos as calorias? Essa poderia aparecer a solução mais lógica se nosso peso fosse afetado apenas pela quantidade de alimentos que consumimos.

Mas você acha que consegue quantificar as calorias com precisão?

Estudos conduzidos por nutricionistas conceituados mostraram que nem mesmo eles são capazes de calcular o número exato de calorias que ingerem por dia.

Como esperar de pessoas comuns façam isso se os próprios especialistas não conseguem? Ainda que chegássemos a números exatos, isso não resolveria o problema.

Como eu disse antes, não basta ter determinação para controlar a fome: quando o organismo avisa que é hora de comer, acabamos cedendo, não importa o que diz a força de vontade.

O segredo para controlar a fome aprender a criar Harmonia entre todas as partes do metabolismo que formam o sistema que regula o apetite.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *